Pular para o conteúdo principal

O que aconteceu com anúncios laterais do Adwords?

Logo oficial do sistema de publicidade Google Adwords

"O maior destaque nos anúncios acima da dobra de página, os resultados orgânicos têm muito mais valor".

Primeiramente devemos entender o que é e como ocorreu uma das principais mudanças nas exibições de anúncios nas pesquisas Google nos últimos anos. Há muito tempo - estima-se que desde o início de 2015 - o maior buscador do planeta estava realizando testes, principalmente nos Estados Unidos, quanto a exibições de anúncios laterais. Para algumas pesquisas esporádicas os anúncios laterais não apareciam, somente no topo, com um adicional: ao invés três resultados, foi acrescentado mais um.

No final de fevereiro de 2016 a Google confirmou a mudança e oficialmente, dependendo da competitividade das palavras-chave, os quatro primeiros links são anúncios Adwords e não exibe os resultados patrocinados nas laterais. Muitas vezes os usuários encontrarão espaços em branco, mas as intenções da Google é priorizar e destacar outros tipos de conteúdos, como mais itens do Google Shopping, empresas locais, conteúdos verticais - informações adicionais sobre diversos temas rastreados de fontes diversas, como significados de palavras, históricos de bandas e políticos, dados estatísticos sobre cidades, entre outros.

Consequências práticas com o fim dos anúncios laterais do Adwords


Esse novo modelo força os resultados orgânicos para baixo, muitas vezes abaixo da primeira dobra de página. No marketing de busca o principal impacto é justamente empurrar as pesquisas orgânicas lá para baixo. Logo pesquisei sobre o assunto e chego a conclusão de que SEO ganha ainda mais evidência, afinal, a primeira página de resultados de pesquisas se torna ainda mais competitiva e a única maneira de não depender demais do Adwords é obter bons resultados orgânicos.

Nunca é demais lembrar que mais da metade dos internautas sabem a diferença entre resultados patrocinados e orgânicos, e muitos confiam mais nos orgânicos, principalmente pela qualidade dos conteúdos e a relevância. Boa parte acredita, inclusive, que as empresas que aparecem nas primeiras posições orgânicas são líderes de mercado, e nem sempre é assim. Por experiência própria, na maioria dos segmentos, as taxas de conversões e vendas oriundas de acessos orgânicos são maiores do que os acessos pagos e mesmo com o novo formato de resultado acho difícil alterar esse retrospecto.

"É fácil concluir que SEO ganha mais importância ainda para uma lista de resultados tão competitivos".

Geolocalização têm mais influência


Algo que notei logo após essas mudanças é que o Google está dando mais destaque para resultados locais. Exibe com maior ênfase empresas consideradas mais relevantes próximas ao local onde pesquisador está localizado. Os dados são fornecidos pelos cadastros do Google Meu Negócio, um diretório de empresas da companhia. O que mais chama atenção são as palavras-chave que acionam tais empresas. São termos de pesquisas de alto nível e com intenções de buscas para serviços. Vamos a um exemplo.

Exemplo de um resultado de empresa para importante palavra-chave
Palavra-chave de qualidade aciona uma empresa local

As estratégias da otimização local devem ser vistas com mais carinho. Um bom cadastro precisa ter título de alta qualidade (não se restringe a ter apenas o nome da empresa), informações mais atualizadas, avaiações de usuários, descrições persuasivas, entre outros. É possível dar mais qualidade aos cadastros para obter a relevância necessária para que determinada empresa apareça com destaque.

Investir em Adwords ficará mais caro?


Qualquer afirmação sobre isso é, no momento, especulação. É muito difícil afirmar sem resultados práticos se o custo por clique (CPC) se tornará mais caro. Dependendo do ponto de vista, podemos concluir que sim, levando em consideração que há menos links patrocinados nos resultados de pesquisa. São aproximadamente quatro links no topo e mais três no final da página. Com o fim dos anúncios laterais do Adwords, o número total de links patrocinados caiu. Isso culmina, em tese, maior competitividade para aparecer na primeira página de resultados. Isso reforça na importância de investir no Índice de Qualidade das campanhas, com páginas de destino estratégicas, textos publicitários persuasivos ao ponto de aumentar o CTR (Taxa de Cliques sob Impressões).

Mas em contrapartida, haverá mais resultados do Google Shopping. Isso é bom para lojas virtuais, mas talvez seja com complicado e tanto para prestadores de serviços.

Não descarto a hipótese da Google monetizar mais os resultados destacados de empresas. Lembra do exemplo anterior que dei? Talvez não seja uma exclusividade orgânica mas um item importante do patrocinado, pois a gigante de buscas jamais dá "um ponto sem nó", não é mesmo?

Comentários

Jornalista Paulo Augusto Sebin

Jornalista formado em 2009 pela Unopar. Desde 2011 atua na área de marketing digital, especialmente como especialista em SEO e produção de conteúdos otimizados. Também atua na otimização de conteúdo para estratégias de Inbound Marketing. Especializado em Marketing de Busca. Trabalhou em projetos de assessoria de imprensa para diversas empresas e comunicação comunitária, principalmente em emissora de rádio comunitária. Fundou jornal impresso destinado para grupo de empresários lotéricos de Londrina.
Selo de Certificados Google do Paulo Sebin
Certificado Inbound Marketing

Postagens mais visitadas deste blog

O que é SEO On Page e Off Page?

Links em fórum de discussão são ruins?

Texto para loja online - e-commerce

Como vender roupa infantil pela internet