AD (728x60)

Copyright Text

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Como fazer minha empresa aparecer no Google? Respostas aos erros de SEO - Palestra SEM RUSH

Compartilhe
No dia 31 de agosto de 2017, eu, Paulo Sebin, jornalista especializado em SEO,  participei de um amplo debate online na SEM Rush, uma das mais conhecidas ferramentas de marketing digital do mundo, sobre os principais erros de SEO e como evita-los. Junto comigo participaram outros três profissionais de SEO, sendo Ewerton Silva, da Resultados Digitais, Miguel Brandão, da SEO Labs e Eduardo Storini.

Caso não tenha assistido a palestra, aproveite para assisti-la no final desta postagem ou assista diretamente no Youtube


Durante o evento, surgiram dezenas de perguntas e não foi possível responder a todas. Por isso, a analista de comunicações da SEM Rush, Maria Chizhikova, que ministrou o debate, encaminhou as dúvidas dos participantes.

Dúvidas e respostas sobre principais erros de SEO


Dúvida do Mateus: Um dos subdomínios pode influenciar o domínio principal? Positivamente ou negativamente no "rankeamento"?


Há diversos ângulos e possibilidades a serem analisados nessa questão. O uso de subdomínios depende muito dos objetivos e da organização de um site. Vamos analisar o lado bom e ruim de subdomínios.

O lado negativo

Subdomínios não influenciam posicionamentos do domínio principal, nem vice-versa.

Não há distribuição de link juice, ou seja, não ocorre a transferência de relevância entre as páginas de subdomínios e domínio principal. Isso acontece por que quando o link (seja interno ou externo) referencia um subdomínio, o benefício do link não é compartilhado com outros subdomínios. Quando o link referencia um diretório, o domínio tem valor agregado a ele.

Distribuição de autoridade entre links de subdomíinos e diretórios

É comum usar subdomínios para separar multilíngues. Entretanto, por experiência própria, o uso de diretórios para conteúdo em múltiplas línguas que vai competir por posicionamentos do Google de diferentes partes do mundo (.com, .com.br, .pt, .fr) tem maior probabilidade de sucesso se todas essas línguas compartilharem do mesmo Trust do domínio principal, ou seja, distribuição de link juice entre os diretórios.

Se adotar subdomínios para multilíngues, cada um será visto como um site diferente, e sendo assim, o conteúdo que receber backlink da versão em francês não vai compartilhar relevância para outras línguas que estão separadas por subdomínios.

O lado estratégico

Apenas para caráter de exemplo, subdomínios são úteis para competir com palavras-chave de baixa competitividade e volume, não por isso deixam de converter qualitativamente.

Por exemplo, o meu site http://www.paulosebin.com.br aborda sobre o universo de SEO em geral, porém, o meu blog subdomínio http://marketingmedicoeodontologico.paulosebin.com.br/ trata apenas da divulgação de marketing de busca para médicos e dentistas. Fica mais lógico separar temáticas tão distantes. O lado bom é que o subdomínio está tendo autoridade independente só para tal segmento, mas por conta do trabalho de link building, conteúdo, não pelas distribuições de links entre o domínio principal. Um não está contribuindo com o outro.

Exemplo do blog de marketing para médicos

Concluindo

Se sua intenção é ter sucesso em autoridade e transferência de relevância entre os subdomínios ou o site principal, um não afeta o rendimento do outro. O que vai determinar posicionamento é a qualidade do conteúdo de cada subdomínio e também a qualidade dos backlinks que cada subdomínio irá receber, lembrando que a relevância e autoridade são transmitas independente de cada um, sem distribuir entre eles. É como se cada subdomínio fosse um site separado a esse mérito.


Dúvida do Pablo: É válido colocar vídeo na descrição do produto, ele ajuda sendo o mesmo uma embed do Youtube?

Não há evidências de que o algoritmo beneficie diretamente em posicionamento uma página só por que possui um embutido de vídeo, seja Youtube ou plataforma qualquer. Entretanto, vídeos geram uma ótima experiência para o usuário e tem os seguintes benefícios:

  • Aumenta o tempo de permanência do usuário na página, afinal, se o vídeo for realmente relevante e relacionado com o conteúdo, ele vai desejar assistir ao vídeo até o final.
  • Vídeos podem ser mais persuasivos do que qualquer texto, o que pode ajudar na taxa de conversão do seu negócio online.
  • Se o vídeo for bom e relevante, usuários podem compartilhar a sua página só por causa da presença do vídeo, o que contribui indiretamente na relevância.
  • Aumento de CTR nos resultados orgânicos caso a implementação das marcações de dados (mais detalhes abaixo) tenha sido aplicada corretamente e Google exiba as informações adicionais nos resultados de pesquisa.

Marcação de dados para vídeos


É importante implementar via Script J-SON ou microdatas informações sobre o vídeo, pois o os buscadores têm dificuldades para obter uma série de informações, como descrição, por exemplo.
Recomendo o guia de ajuda sobre marcações de vídeos no HTML.

Modelo

<script type="application/ld+json">
{
  "@context": "http://schema.org",
  "@type": "VideoObject",
  "name": "Title",
  "description": "Video description",
  "thumbnailUrl": "https://www.example.com/thumbnail.jpg",
  "uploadDate": "2015-02-05T08:00:00+08:00",
  "duration": "PT1M33S",
  "publisher": {
    "@type": "Organization",
    "name": "Example Publisher",
    "logo": {
      "@type": "ImageObject",
      "url": "https://example.com/logo.jpg",
      "width": 600,
      "height": 60
    }
  },
  "contentUrl": "https://www.example.com/video123.flv",
  "embedUrl": "https://www.example.com/videoplayer.swf?video=123",
  "interactionCount": "2347"
}
</script>


Pablo: há uma forma de verificar quais as últimas postagens e cadastros de um determinado site pelo Google?


Ao que compreendi da pergunta, seria como fazer para descobrir as últimas publicações de um site indexados pelo buscador. Se for isso, recomendo a seguinte prática:

No campo de busca do Google, digite site: e em seguida o domínio que pretende analisar. Selecione um período mais recente e o buscador mostrará as últimas páginas indexadas, conforme exemplo a seguir.

Exemplo de como analisar indexações de concorrentes


Fernanda de Lima Tabosa: O que pode gerar o erro, quando o visitante vai parar na página 404 error?


Nos relatórios de retornos HTTP 404 no Google Search Console, seja para uma página amigável ou pelo padrão do sistema, significa que há certo tempo tais endereços eram indexados pelo buscador e passaram a não existir, ou há indicativos de links para endereços incorretos e inexistentes.
  • A página foi removida, sem aplicar redirecionamentos.
  • O endereço URL foi alterado, isto é, a página em si existe, mas o URL mudou sem redirecionamento e o buscador não vai compreender a mudança de endereço, vai entender como ter sido apagado.
  • O site ficou fora do ar, e ao invés de retornar erro HTTP 500 (servidor), por exemplo, já vi casos de retornar HTTP 404.
  • Links internos quebrados, seja por conta das mudanças de URL´s ou por problemas do site.

O Google Search Console mostra os erros 404 por ordem de importância. Recomendo sempre analisar os 100 primeiros apontamentos e verificar o quanto tais páginas eram importantes. A ferramenta também mostra de onde há links internos apontando para os endereços com erros, e recomendo corrigir tais links ou aplicar redirecionamentos, se necessários.
De maneira mais ágil, por meio de relatórios em planilha, sugiro passar o robô Screaming Frog ou Xenu (esse é bem antigo, mas ainda útil) e assim obter todos os apontamentos de links quebrados que retornam os erros 404.

Thiago: Como proceder com um site que está muito bem otimizado e vem perdendo posicionamentos no Google?


Primeiramente posso dizer que a afirmativa "um site que está muito bem otimizado" é relativo, por que pode estar bem otimizado para os nossos olhos, não para o algoritmo do buscador. Sugiro:
  • Se atualize sobre as diretrizes de qualidade da Google. Se informe e estude se não há alguma questão no site que esteja atrapalhando a nova realidade do algoritmo. Notícias da SEM Rush podem auxiliar.
  • Verifique se o sistema do site não está permitindo a indexação de páginas de baixa qualidade ou desnecessárias.
  • Verifique se o site não foi invadido e esteja disseminando vírus ou páginas maliciosas. Use o Screaming Frog para rastrear o seu site, verifique as melhorias de HTML no Google Search Console. Use o comando site:www.seusite.com no campo de busca e veja cada item indexado. Qualquer página suspeita, anote e verifique alguma ação.
  • Observe a qualidade dos backlinks, pegue a lista de fontes que têm links para o seu site, o próprio Search Console e SEM Rush podem auxiliar. Se houver fontes suspeitas, sites muito ruins, peça para remover os links ou utilize Disavow Links do Search Console para que o buscador ignore eventuais backlinks de baixa qualidade.
  • Se tiver a prática de construir backlinks como spam, distribuindo links por aí em locais ruins, pare imediatamente.
  • Seus concorrentes estão começando aprimorar as estratégias de SEO. Vale apena estuda-los.

Matheus: Vocês tem sugestões de ferramentas ou métodos para otimizar o tempo e o resultado em campanhas de Marketing Digital, especificamente no aspecto de SEO?

Como eu disse, sou fã do Screaming Frog, por que em apenas 1 hora você consegue ter quase tudo sobre o seu site ou dos concorrentes, como todos os títulos de página, imagens sem ALT, links quebrados, meta descrições, páginas com baixa quantidade de palavras no HTML, páginas que estão acima de 3 cliques para serem encontradas durante a navegação.
A SEM Rush também ajuda muito quando o assunto é monitorar os concorrentes, descobrir palavras-chave e oportunidades de otimizações, auxiliando bastante no processo de automação.
Quanto ao cenário de backlinks, a SEM Rush também ajuda muito e também há o Open Link Profiler, que para aspectos On Page são ruins, mas para Off Page ajuda bastante.
Wild Shark SEO é outro robô que simula o Google e gera relatórios incríveis que muitas vezes são informações difíceis de serem captadas só navegando no site.

Enio: Quais os cuidados devo ter ao migrar de servidor e CMS para não perder todo ativo construído com SEO ao longo do tempo?


O primeiro passo é criar um planejamento de redirecionamento, caso a estruturação de URL seja alterada. Os redirecionamentos fazem com que o buscador entenda eventuais novos endereços sem desperdiçar as relevâncias atribuídas. Nesses casos, faço o seguinte:
  • Nos relatórios de Google Analytics e Search Console, verifico as páginas de maior sucesso. Elas são as primeiras que precisam de uma preservação especial de SEO. Com as páginas "em mãos", crie uma planilha, ou use mecanismos de pluging (Wordpress) para listar as páginas atuais e eventuais novos endereços e assim aplicar os redirecionamentos.
  • Nada adianta redirecionar se não houver os cuidados em preservar os conteúdos, links internos, títulos de página, entre outros fatores.
  • Certifique-se de que o novo site será mais ágil quanto a velocidade de carregamento.
  • Tente no mínimo preservar a estrutura do site.
  • As páginas consideradas de baixo rendimento do atual site, aproveite para melhora-las no novo site e aplicar redirecionamentos se necessários.

Jonatan: Quanto ao uso das palavras-chave, é obrigatório utilizá-la na sequência correta de palavras? Ou podemos usar sinônimos e mesmo assim ficar bem ranqueados?


Maravilhosa pergunta. Em dezembro de 2016 fiz uma palestra na SEM Rush ao qual expliquei sobre semântica SEO.
Consulte o vídeo



Na ocasião, expliquei que além de usar as palavras exatas, corta-las ao longo do texto, citar sinônimos e usar termos relacionados é uma das maneiras mais inteligentes de se construir um texto bom para o usuário e também adequado para os buscadores.

Isabella: tenho um site autoridade. Posso usá-lo para "linkar" outros sites meus para aproveitar a autoridade dele?


Se os outros sites forem seus, acho legítimo cita-los. Entretanto, não recomendo criar uma cadeia de links entre eles, como site A com link para o B, o site B com link para A, ou seja, troca de links entre eles pode ser visto pelo algoritmo do buscador como uma manipulação ou sites criados só para transferir relevâncias.


Gisele: Em relação a uma página otimizada para determinada palavra-chave. Como o Google analisa os demais links da página que possuem a palavra-chave? Na verdade gostaria de saber sobre a quantidade aceitável de links internos com a palavra-chave.


Não há uma quantidade aceitável, é difícil mensurar isso, depende da quantidade de páginas do site. Se for um blog, é mais propenso a ter mais páginas e assim pode-se ter um bom número de links internos com a palavra-chave exata como link. Se for uma loja virtual pequena, exagerar pode apontar para o algoritmo uma preocupação maior para o buscador e não para o usuário final.

Quando o Google encontra links com uma palavra-chave, ajuda o mecanismo a entender o quanto tal página de destino é relevante para o termo em questão.

O que posso dizer é não exagerar, fazer em alguns pontos específicos do site.

Jonatan: Seria um erro de SEO aplicar nos conteúdos uma série de links internos e não se preocupar com os links externos?


Quando diz "série de links internos", deve-se ter em mente cuidados com a quantidade. Um texto não pode ter uma enorme quantidade de links internos por que fica chato de ler e transparece uma preocupação menor com usuário. Links internos devem ser usados com moderação e que realmente seja útil para complementar o conteúdo na leitura do usuário. Quer exemplo prático? Observe esse artigo que está lendo. Links somente onde realmente complementa a leitura. Poderia usar um pouco mais.

Links externos, quando são de alta qualidade, para domínios de alto valor, podem indicar para o Google que seu conteúdo possui fontes legítimas de alto nível, isso é benéfico.


Edison: Tenho uma dúvida com relação ao Google Webmaster, no relatório monstra uma palavra em uma posição ex: 4, mas quando consulto não aparece, como funciona esta parte no Google Webmaster ?

O posicionamento marcado não é exato e depende dos seguintes fatores:
  • Trata-se sempre de uma média de impressão e não necessariamente aparece a todo tempo e para todos usuários na mesma posição.
  • Localização do usuário e foco do negócio: se seu site tiver como foco uma determinada cidade (por exemplo, um restaurante vai atender uma cidade específica, não é um e-commerce), o posicionamento indicado não é geral.
  • Se seu site tiver foco todo o Brasil (uma loja virtual, por exemplo), e na sua consulta não aparecer na posição indicada no relatório, sua localização pode estar afetando, ou seja, para fora da cidade onde está pode aparecer na posição ideal, já na sua localização não.
  • Sempre faça consultas no buscador sem estar logado numa conta Google, pois a tendência é exibir resultados orgânicos de acordo com seu histórico de navegação e preferências.

Carlos: Ocultar a data de publicação dos posts para que não apareçam nas SERPS melhora o posicionamento? Nos posts do meu site


Não há evidências comprovadas a respeito. O fato de ocultar a data de publicação  não significa que o mesmo perderá posicionamento por ser uma postagem antiga. O Google leva em consideração também a data de indexação, por tanto, uma página que não oferece data de publicação vai ter uma idade nova ou velha de acordo com o tempo de indexação.

No caso de blogs e portais de notícias, recomendo oferecer a data de publicação, pois os buscadores sabem o tipo de conteúdo (se é de informação) e podem eventualmente dar preferências para datas de publicação, afinal, eu já me deparei com experiências ruins de entrar em uma notícia ou postagem sazonal de um blog e me perder no tempo, sem saber a data que foi publicado.

Imagine o quanto é ruim num blog de tendências escrever um artigo sobre decoração de Natal e sequer declarar o ano.

Pablo: Queria saber se os conteúdos duplicados que aparecem no Search Console sendo duplicado porque o Google vê a página de busca de um produto como uma página duplicada afeta muito e como poderia resolver isso sendo que a plataforma não ajuda em Tecnologia?

É preciso entender que o Google automaticamente sempre tenta compreender a diferença entre a duplicidade ocasional e proposital. Pelo o que descreve no seu caso, trata-se de uma duplicidade causada pelo sistema, o que muitas vezes é normal. Dificilmente suas páginas de buscas internas estão entre as que têm mais impressões nos resultados. Seu site não será banido por conta disso.

Porém, um dos critérios de classificação é analisar a disponibilidade de páginas de alta qualidade e realmente úteis para os usuários que usam o buscador, pois isso facilita o algoritmo. Pela experiência de meus projetos desde 2010, basta bloquear o acesso do Google a páginas de filtros, buscas internas, postagens de composição do Wordpress que a média de posicionamento melhora enormemente. Seu site terá um rendimento menor nos resultados de pesquisa.

Infelizmente, se unir outros fatores e necessidades de SEO, seria o caso de rever a sua plataforma.

Assista a palestra sobre erros de SEO e dicas de como fazer o site da sua empresa aparecer no Google evitando tais erros


Marcações ou categoria: Artigos SEO, Marketing de Busca, Todos
Imagem do jornalista Paulo Augusto Sebin

Escrito por

Jornalista especializado em marketing de conteúdo e SEO. Atua em comunicação organizacional e otimização de conteúdos para mecanismos de pesquisas. Já atuou em jornal impresso, assessoria de imprensa e emissora de rádio.


0 comentários:

Postar um comentário

 

Melhores do mês

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-me por e-mail

Por que confiar em Paulo Sebin?

  • Especialista em SEO com dezenas de projetos de sucesso.
  • Sempre trabalhou mais de 4 anos por empresa.
  • Certificações Google e Comunicação Social
Copyright © Especialista em SEO e consultor marketing digital - jornalista Paulo Sebin | Layout feito por Templateism.com