AD (728x60)

Copyright Text

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Criar site Wix pode prejudicar ações em marketing de busca

Compartilhe
Ilustração sobre prejuízos ao criar site Wix para estratégia de marketing de busca
É encontrado pelo Google, o problema é ser bem-posicionado

Você já deve ter ouvido falar sobre o sistema de site WIX. Esse sistema promete ser prático, tem a capacidade de criar um site em poucos minutos, apresenta um layout bonito e cheio de efeitos, e não precisa saber de programação para trabalhar com elementos técnicos que atendam às suas necessidades. Quando o site é lançado, o próprio dono da empresa consegue realizar as alterações que deseja. Parece ser o sistema ideal, mas não é. Entenda nesse artigo.

Não contribui para o marketing de busca


O marketing de busca se divide em dois processos, sendo SEO (Otimização para Mecanismos de Pesquisas) e Links Patrocinados, o mais comum são anúncios na rede Google por meio do programa de publicidade Google Adwords.

Wix é uma catástrofe para SEO


Após lançar o site, não demora muito para que o empresário(a) perceba que o tráfego é baixo e não há conversão, isto é, venda e negócios esperados. Isso acontece por que o site precisa atrair usuários qualificados, e eles não vão encontrar seu site sem aparecer nas primeiras posições de resultados de pesquisas Google (orgânico ou patrocinado), boas estratégias nas redes sociais, entre outros.

A melhor maneira de conseguir as primeiras posições no Google é investir em SEO, que usa metodologia de otimização que foca na qualidade do site, envolvendo melhorias em HTML, estrutura de navegação, alta qualidade nos conteúdos, links internos e muitos detalhes técnicos. Também divulga o site em muitas fontes na internet para conseguir relevância e autoridade.

O Wix é um problema sério nesse quesito. O sistema trabalha com uma linguagem primitiva no gerenciamento do conteúdo, chamada AJAX. Em 2009, o Google anunciou que seria possível indexar conteúdos AJAX.

O fato do sistema trabalhar com AJAX, os URL´s das páginas apresentavam o seguinte padrão:

www.seusite.com.br#produto/dc0cj

Basicamente, a presença de # (hashtag) chama-se link âncora, que é responsável por exibir parte de um conteúdo presente em uma mesma página. É como se o seu site tivesse todo o conteúdo concentrado em uma única página, o que é, muitas vezes, nada recomendável para o marketing de busca.

A recomendação do Google é oferecer o mesmo conteúdo visível para o usuário em outro endereço exclusivo para o buscador. Isso é feito com adição de uma exclamação (!) em URLs dinâmicas do AJAX, para que os buscadores possam acessar o conteúdo por meio de um URL alternativo. Por exemplo.


  • Antes, o endereço padrão de uma página era www.seusite.com.br#produto/aabbcc
  • Agora, o endereço de uma página segue mais ou menos o seguinte padrão:  www.seusite.com.br/!#produto/aabbcc. Observe que há presença de (!) dentro de um diretório.
  • A seguinte meta name: <meta name=”fragment” content=”!”/> deve ser inserida nos códigos das páginas. Isso determina a exibição daquele conteúdo em questão no seguinte endereço exclusivo aos buscadores: www.seusite.com.br/?_escaped_fragment_=produto/aabbcc


O grande problema está na oferta de um conteúdo textual para os buscadores, excluindo imagens importantes, o layout, e tudo mais que compõe uma boa página otimizada.


Wix já foi desindexado pelo Google


O mecanismo de busca simplesmente removeu dos resultados de pesquisas todos os sites desenvolvidos com Wix. O fato aconteceu aproximadamente em dezembro de 2015 após uma das atualizações do Google. Imagine o drama que os usuários passaram ao ver quedas bruscas nos acessos e negócios. Para ocorrer um incidente dessa proporção, significa que o sistema Wix é muito instável e sensível a qualquer alteração da Google, afetando indexação.

Parou no tempo ou é uma estratégia?


De acordo com uma interação realizada no suporte da ferramenta, a empresa de desenvolvimento Wix explica que "usam a tecnologia Ajax que é a melhor estrutura para a indexação de sites nos motores de busca. Com a indexação Ajax, o seu conteúdo, dados do site e design são comprimidos e extraídos muito mais facilmente e rapidamente pelos motores de busca."

De fato, as páginas são bem limpas e compactadas para os buscadores, o que culmina em altas notas nos testes de velocidade de carregamento. Mas isso não significa ganhos de posicionamentos. Com o lançamento das renderizações de páginas, o mecanismo necessita ler todos os arquivos que gerenciam a aparência do seu site, e assim determinar a qualidade do site como um todo, não se restringindo apenas conteúdo e links, mas navegação amigável aos usuários.

De acordo com o blog oficial da Google, o robô de busca tentará encontrar e buscar todos os arquivos externos envolvidos, como imagens, CSS e JavaScript, assim como outros arquivos que podem estar indiretamente incorporados por meio de CSS ou de JavaScript. São usados para renderizar uma imagem de visualização que mostra como o Googlebot vê a página.

Sendo assim, a afirmação oficial da companhia publicada no suporte não procede, e na minha avaliação de SEO, criar site Wix não é recomendado para empresas e pessoas que necessitam alto tráfego orgânico.
Marcações ou categoria: Marketing de Busca, Todos
Imagem do jornalista Paulo Augusto Sebin

Escrito por

Jornalista especializado em marketing de conteúdo e SEO. Atua em comunicação organizacional e otimização de conteúdos para mecanismos de pesquisas. Já atuou em jornal impresso, assessoria de imprensa e emissora de rádio.


0 comentários:

Postar um comentário

 

Melhores do mês

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-me por e-mail

Por que confiar em Paulo Sebin?

  • Especialista em SEO com dezenas de projetos de sucesso.
  • Sempre trabalhou mais de 4 anos por empresa.
  • Certificações Google e Comunicação Social
Copyright © Especialista em SEO e consultor marketing digital - jornalista Paulo Sebin | Layout feito por Templateism.com