AD (728x60)

Copyright Text

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

O que é SEO On Page e Off Page?

Compartilhe

Entenda tudo sobre o que é SEO


A otimização de sites para os mecanismos de pesquisas passa por diversos processos. Criar ou manter um site que atenda todas as qualidades exigidas pelos mecanismos, principalmente o Google, não é uma tarefa fácil. Engana-se quem pensa que SEO os resultados são rápidos e tão pouco tem datas definidas para um projeto.

A otimização de sites tem começo, mas dificilmente tem fim. Isso mesmo. Caso já tenha ouvido falar em projetos de SEO com trabalhos em determinados meses, e pronto, é mentira. Além das ações para arrumar a casa, é sempre necessário uma continuidade na otimização, pois o algoritmo do Google está sempre em mudanças, concorrentes podem ganhar relevância de um mês para o outro, novas páginas que surgem em um site ou blog precisam ser otimizadas, entre outros.

Basicamente, a otimização é divida em: SEO On Page e SEO Of Page.



O que é SEO On Page?


São técnicas de otimização voltada para o site ou blog. A grosso modo, são melhorias realizadas internamente, que envolvem conteúdos (presença de palavras-chave), links internos, prevenção contra conteúdos duplicados, meta tags, entre outros. Alguns dos processos que envolvem SEO On Page são:

Pesquisa de Palavras-Chave

Muitas empresas tentam imaginar como os usuários do Google realizam pesquisas para encontrar seus produtos, serviços ou conteúdos em geral. Jamais podemos deduzir os temos utilizados. Antes de mais nada, é necessário fazer uma pesquisa de palavras-chave, de acordo com seu nicho. Há diversas ferramentas pagas, mas seguramente, as melhores são do próprio Google (afinal, ninguém mais que eles saberem por meio dos bancos de dados os termos utilizados.

A primeira ferramenta a ser usada é Planejador de Palavras-Chave do Google Adwords. Essa é uma ferramenta útil para anunciantes do Google, mas também é válida para encontrar palavras-chave relacionadas. Tenha anotado termos mais lógicos de acordo com seu site. Por exemplo: se você tem um blog que fala sobre decoração, anote todas as variações possíveis, que podem ser "decoração de interiores, como decorar, decorar sala, decorar cozinha", e assim por diante. A ferramenta irá exibir uma lista de termos relacionados. É com essa lista que vamos trabalhar os conteúdos, link internos, páginas e navegação, entre outros.

Também deve-se usar o Google Trends. É ideal para comparar palavras-chave por período, localização, entre outros.

Outra estratégia interessante é navegar nos sites de concorrentes, avaliando os termos mais citados nos conteúdos, verificando as palavras-chave presentes nas meta tags (vamos falar delas mais adiante), atributos, entre outros.


Estrutura e Navegação


Com as palavras-chave em mãos, você deverá separar os termos mais buscados. Certamente, que esses termos mais importantes talvez merecem um destaque. O ideal é ter páginas fixas para elas, ou seja, páginas estas que contemplem as palavras-chave mais visadas. Em caso de loja virtual, esses termos vão determinar quais categorias o site oferece. Além disso, os termos servirão como base para geração de conteúdos.

Seguindo a lógica do exemplo citado no tópico anterior, imagine que encontremos ricas palavras-chave que envolvem cada tipo de ambiente doméstico, como "decoração para sala, decoração para cozinha, decoração do banheiro, decoração do quarto", entre outros. Provavelmente, cada termo desse se tornaria uma página fixa ou categoria, atendendo todos os anseios dos pesquisadores de conteúdos.

Meta Tags

As mais importantes que podemos destaca são Title (título de página), Description (descrição da página) e Robots (indica as páginas que podem ou não serem indexadas).

Meta Title

São os títulos de páginas. Para entender melhor, localize na barra de navegação no navegador o texto indicado pela foto

Uso de título de página para entender o que é SEO On Page.

A área circulada acima é o atributo Title. Ele é usado pelos navegadores para exibir o resumo e também pelos buscadores para exibir lista de links nos resultados e principalmente para entender o seu conteúdo.

Obviamente, que a palavra-chave principal da página deve estar presente nesse título, que não deve passar de 63 caracteres.

Meta Description

Também conhecida como meta descrição da página. Trata-se de um resumo com no máximo 150 caracteres sobre o que propõe a página em questão. O texto deve conter informações básicas do conteúdo, conter a palavra-chave principal e no final uma ação call-to-action, como "confira aqui, leia mais", etc.

Há rumores que essa meta tag não interfere no resultado, mas uma coisa é certa: ela é responsável pelos usuários clicarem ou não no seu conteúdo. Por isso, não deixa de ser uma ação de SEO On Page.

Mas onde colocar meta description? É muito variável. Cada plataforma de um site ou blog oferece locais específicos para inserção desses conteúdos. No caso de um Blogger, há uma opção no lado direito da página de cadastro de postagem chamada "Descrição de Pesquisa". No caso de um site feito em Wordpress, plugins de SEO habilitam essa possibilidade. Caso tenha uma programação e desenvolvimento, a parte técnica precisa habilitar essa função.
Exemplo de uma me description sendo exibida no resultado de busca.


Meta Name Robots



Existem páginas que são desnecessárias para exibição no Google. Entre elas estão tags (marcadores de conteúdo), página de contato, de login, entre outras. Da mesma forma que a meta description, cada plataforma oferece suas possibilidades para inserção. No caso de blogs feitos com o Blogger, no canto direito da página de postagem haverá a opção chamada Tags de robôs personalizadas. No caso de sites feitos com Wordpress, é necessário instalar plugins de SEO, como a Yoat SEO. Lojas virtuais em Magento também é necessário instalar a Yoast SEO para Magento, por exemplo.

As meta name robots mais comuns são:

  • <meta name="robots content="index,follow" - libera a indexação das páginas e seguimentos dos links
  • <meta name="robots content="noindex,nofollow" - não libera o acesso dos robôs de busca e tão pouco segue os links na página em questão.


Mas atenção, leia o artigo o que é noindex tag e entenda a diferença entre controle de rastreamento e exibição nos resultados de pesquisas.

Indexação

Os donos de sites e webmasters podem ajudar o Google a localizar as páginas e também orientar o que deve ser seguido (indexado). Essa é uma importante etapa, pois indica para o mecanismo de pesquisa sua preocupação com a qualidade dos conteúdos oferecidos na web.

Robots.txt

É um arquivo em TXT (bloco de notas, por exemplo) que contém determinados comandos escritos por linha.


  • User-Agent: - indica para quais robôs os comandos serão determinados
  • Disallow: - indica quais páginas serão bloqueadas
  • Allow: indica quais páginas podem ser seguidas.
Abaixo você pode consultar tipo de Robots mais comum. Há diversas variações que dependem sempre de cada site.

User-Agent: * - A * significa que todos os robôs de busca devem seguir as determinações.
Disallow: /pagina-de-exemplo.html - bloqueia o acesso do Google para uma página específica.
Disallow: /categoria-de-exemplo/ - bloqueia uma categoria ou diretório inteiro. Qual URL que venha depois desse diretório será bloquado
Allow: /categoria-de-exemplo/pagina2.html - significa que pelo comando anterior bloqueia todas as páginas desse diretório, exceto, a pagina2.html

Para entender melhor o uso de Robots, você também pode consultar o arquivo do Google.


Sitemap.xml

Esse é um arquivo que contém as páginas mais importantes de seu site. Pode ser enviado para o Google por meio do Google Webmaster Tools. Esse arquivo segue alguns padrões para serem reconhecidos. Cnfira abaixo um modelo padrão de sitemap XML:

<urlset xmlns="http://www.sitemaps.org/schemas/sitemap/0.9">
<url>
<loc>
http://www.seusite.com.br/categoria/pagina-de-exemplo.html
</loc>
<lastmod>2013-09-26</lastmod>
<changefreq>weekly</changefreq>
<priority>1.0</priority>
</url>
<url>
<loc>
http://www.adesivoweb.com.br/adesivos-decorativos/adesivos-carros-motos.html
</loc>
<lastmod>2013-09-26</lastmod>
<changefreq>weekly</changefreq>
<priority>1.0</priority>
</url>

A URL SET indica qual será o tipo de página, ou seja, será página comum, imagem ou vídeo. No exemplo acima vamos trabalhar apenas com indicação de páginas, que é o mais comum. Para saber mais detalhes, consulte também Como Criar um Sitemap para o Google.


  • Dentro de <loc> você deve indicar a página importante de seu site.
  • Em <lastmod> a data de publicação ou atualização.
  • <chengefreq> frequência média de atualização
  • <priority> pontuação de importância da página, que pode ser entre 0.1 a 1.0.
Apensar de indicar para os mecanismos de pesquisas as páginas de seu site, não é um fator tão importante para posicionamento.

URL´s Amigáveis

A URL da página é um indicativo muito importante do assunto proposto. Além de ser usado para o usuário de situar, os mecanismos de pesquisas também passaram a usá-las. Qual tipo de página passaria mais credibilidade ao usuário entre as opções abaixo?

- http://www.paulosebin.com.br/p?id=12589&filter=0
- http://www.paulosebin.com.br/p/o-que-e-seo-otimizacao-de-sites.html

Claramente que a segunda opção já indica o tipo de conteúdo composto na página.

ALT das Imagens

O Google está investindo em tecnologia para ler caracteres presentes dentro das imagens. Mas não é perfeito. O atributo ALT é usado para indicar navegadores sobre um assunto (o texto é exibido caso não carregue as imagens) e também por leitores de caracteres, por pessoas cegas, por exemplo. No caso dos robôs de busca, usam o conteúdo dessa tag para relacionar a imagem com palavras-chave.

Esses atributos podem ser editados de acordo com a plataforma usada. No caso de um Blogger, ao adicionar uma imagem, o sistema oferece as opção de títulos e textos alternativos. São nesses comandos que nós editamos o ALT de uma imagem. No caso de um Wordpess (seja site ou blog convencional), também há uma opção própria. 

Exemplo de um ALT na imagem em questão sobre o que é SEO



Subtítulos de conteúdos - Head Tag

Foi-se o tempo em que textos corridos eram relevantes. Agora, a separação por tópicos e subtítulos é uma forma de organizar o conteúdo por sua importância. Podemos partir do exemplo desse mesmo artigo que está lendo, sobre o que é SEO On Page e Off Page. Repare que cada tipo de ação On Page está separado por subtítulos.

H1 - Título principal
H2 - Subtítulo
H3 - Sub do Subtítulo
H4 - Título secundário
H5 - Subtítulo do secundário
H6 - Sub do Subtítulo secundário

Nesse artigo, no título O que é SEO On Page e Off Page, está como H1. No subtítulo O que é SEO On Page, está como H2. O subtítulo Meta Title está em H3, e assim por diante. Ou seja, esse mesmo artigo está sendo estruturado de forma lógica, bem definido pelas Heads.

Conteúdo Otimizado

O mais importante. Conteúdo de qualidade para o Google (diferente de gramática ou regras de literatura e escrita) é ter um texto bem argumentativo, explicativo, direto e com palavras-chave. Se o objetivo é criar uma página com conteúdo ao qual o foco seria "Comprar livros de ficção", por exemplo, além dos títulos, meta tags e todas as questões citadas acima, o texto precisa ter no mínimo três citações dessa palavra-chave, distribuídos no começo, meio e fim do texto.

O que é SEO Off Page?

Um dos pontos mais importantes que o Google utiliza para dar relevância em um site é a quantidade e qualidade de links que apontam para seu site. Em qualquer tipo de site ou blog, é comum a criação de links para outros sites que são importantes para quem é um editor de conteúdo.

O SEO Off Page usa como técnica a criação de backlinks, ou seja, links que apontam para o site. As principais redes utilizadas são:


  • Diretório de Artigos: você escreve um artigo relacionado ao assunto do seu site e dentro dele cria um link. Mas para que essa metodologia funcione, o ideal é que para cada diretório de artigo produza um conteúdo diferente.
  • Fóruns: ótima fonte para criação de links. Você interage com os usuários em determinadas postagens e indica seu site como uma fonte. Mas os fóruns precisam ter relação com o que seu site trabalha.
  • Parceria com blogs: Ter uma boa relação com blogueiros faz toda a diferença. Esses blogueiros podem criar links para seu site, desde que tenham relação em comum.
  • Diretórios de Empresas: se seu site é uma loja virtual, há vários diretórios de cadastros de empresas, onde pode incluir descrição, produtos, localização e links. 
Há várias outras estratégias para obter backlinks.



Saiba mais sobre o que é Otimização - SEO

Assista abaixo a uma entrevista concedida pelo consultor de SEO Paulo Sebin e saiba mais detalhes sobre o universo da otimização de sites.




Jornalista atuante em consultoria de SEO para Google na agência K2 Comunicação, da cidade de Londrina - PR. Produz conteúdos para web em geral, otimizados e com qualidade. Siga-me Google+, Twitter e Facebook.
Marcações ou categoria: Artigos SEO, Marketing Digital
Imagem do jornalista Paulo Augusto Sebin

Escrito por

Jornalista especializado em marketing de conteúdo e SEO. Atua em comunicação organizacional e otimização de conteúdos para mecanismos de pesquisas. Já atuou em jornal impresso, assessoria de imprensa e emissora de rádio.


2 comentários:

  1. Guilherme Kimura Sada19 de fevereiro de 2014 03:26

    Sensacional esse teu artigo. Mostra certinho vários pontos para saberem o que é esse tal SEO. É um monte de informação cara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha que nem coloquei tudo o que fazer no SEO. São apenas alguns pontos amplamente discutidos da web.

      Excluir

 

Melhores do mês

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-me por e-mail

Por que confiar em Paulo Sebin?

  • Especialista em SEO com dezenas de projetos de sucesso.
  • Sempre trabalhou mais de 4 anos por empresa.
  • Certificações Google e Comunicação Social
Copyright © Especialista em SEO e consultor marketing digital - jornalista Paulo Sebin | Layout feito por Templateism.com