AD (728x60)

Copyright Text

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Novo Universal Analytics do Google

Compartilhe
O Google está disposto a sempre inovar sua tecnologia de coleta de dados, uma notícia que é boa para quem usa dados de métricas para avaliar o rendimento de sites, mas podemos até dizer que é um novo modo do Google saber ainda mais como é o comportamento de seu site e suas tendências para criar novos produtos, estratégias de marketing para o programa Adwords, entre outros.

O Universal Analytics conta com novas seções a funcionalidades que aprimoram a forma de avaliar os dados e mensuração dos visitantes. Basicamente, o Universal Analytics conta com as seguintes novidades:


  • Tempo limite de sessões ou campanhas
  • Personalizar origens de tráfegos orgânicos (mecanismos de pesquisas)
  • Excluir as referências
  • Excluir termos de pesquisas
Vamos analisar abaixo cada uma das novas funcionalidades implementas no novo Analytics. No documento oficial da ferramenta divulgada pelo Google, você pode consultar mais detalhes principalmente sobre a configuração.

Tempo limite das sessões


Esse é um recurso que pode ser muito útil para reduzir taxas de rejeição. Uma das maiores críticas a isso é que dependendo do tamanho do conteúdo ou das ferramentas embutidas utilizadas, o usuário pode demorar muito tempo na página. Mas para o Google, estar tempo demais com a página aberta também pode significar desinteresse, ou seja, o usuário apenas esqueceu o conteúdo aberto no navegador. Mas nem sempre é assim. Agora, é possível determinar para cada página um tempo limite de sessão. Aplica-se menor tempo para páginas com pouco conteúdo, e maior tempo para as páginas com alto conteúdo, sejam textos HTML ou ferramentas embutidas, como vídeos e slides maiores.

Personalizar os tráfegos orgânicos

Não é uma regra, mas na maioria das vezes os dados coletados de visitas em pesquisas orgânicas eram universais. Isso significa que se o usuário acessar o seu site via Bing, essa informação não é detalhada, pois é classificado como visita orgânica, seja clicando em seu link via Bing, Yahoo ou Google. Agora, você pode determinar nos relatórios se deseja saber especificamente dentro do universos de pesquisas orgânicas quais são os mecanismos usados.

Exclusão das referências


Para os trabalhos de SEO, isso conta muito na hora de mensurar os relatórios. Esse recurso será muito utilizado para inserir seu próprio domínio para excluir nos dados de referências do Analystics. Se um usuário acessar o seu site e após clica num link externo. Mas resolve voltar para o seu site, isso conta como duas seções, ou seja, como se esse mesmo usuário fosse pessoas diferentes. 

Excluir termos pesquisados


Muito ideal para excluir dos resultados de palavras-chaves que geraram acessos que envolvem o nome da empresa, por exemplo. Se você aplicar o nome de sua empresa ou website na exclusão, quando o usuário acessar vindo de uma pesquisa utilizando a palavra excluída, o acesso será contado apenas como direta, e não mostrará na listagem de termos a palavra que excluiu. Isso ajuda a manter as palavras que realmente são mais otimizadas.
Marcações ou categoria: Marketing de Busca, Marketing Digital, Todos
Imagem do jornalista Paulo Augusto Sebin

Escrito por

Jornalista especializado em marketing de conteúdo e SEO. Atua em comunicação organizacional e otimização de conteúdos para mecanismos de pesquisas. Já atuou em jornal impresso, assessoria de imprensa e emissora de rádio.


0 comentários:

Postar um comentário

 

Melhores do mês

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-me por e-mail

Por que confiar em Paulo Sebin?

  • Especialista em SEO com dezenas de projetos de sucesso.
  • Sempre trabalhou mais de 4 anos por empresa.
  • Certificações Google e Comunicação Social
Copyright © Especialista em SEO e consultor marketing digital - jornalista Paulo Sebin | Layout feito por Templateism.com